segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Agora que é de manhã...

Bom dia! É bom amar-te. É bom estar preocupado contigo. E, às vezes, é bom sentir que sou um real chato quando te obrigo a falar. Sou eu a dizer: "ei beleza! Eu estou aqui para o que der e vier, seja lá o que vier." Sou eu a dizer:"Não sei como te ajudar, mas estarei a teu lado no bom ou no mau". Sou eu a dizer: "aconteça o que acontecer temo-nos um ao outro". Estavas a tentar descansar e foi a forma de te dizer: "vamos conversar? Queres ser a minha melhor amiga? Tomamos um copo?" Fala comigo, então como correu? Conta-me tudo que eu quero saber. Não quero saber por saber como foi. Também. Mas quero mais saber como te sentes, qual foi o impacto de toda esta reviravolta no teu ser. Sentei-me a teu lado para te sentir. Não o corpo, mas a alma. Envolver-me no teu espírito, nos teus pensamentos, beber o teu lado, ser o teu espelho. Sentir-me mais descansado por saber as raízes das tuas angustias, os nervos dos teus "nervos", por apenas compreender as tuas estrelas e luas. Sentei-me a teu lado sem as respostas que desejas saber, mas também sem expectativas, sem exigências, sem contrapartidas. Com todo o amor. O Agualusa disse que os mais felizes são aqueles que sabem não ter. Caramba, se ele tiver razão estamos certamente lá muito perto, se é que não estamos lá. Agora que é de manhã, estarei certamente a preparar-te o pequeno almoço, lá te espero com toda a serenidade, só com a vontade de te dar mais amor. Até já