sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

The stroke

Stroke... the drama, the violence and the beauty of assimetry.

Trabalhada com o Prof. Rui Ferreira no Jardim Bonsai a 27.1.16.
Aramamento e poda de formação.
Todos os dias as grandes assimetrias me criam desafios.
Porque são corpos e mentes a querer recuperar um lado,
que pode deixar de ser sentido, de ser movimentado, de ser consciencializado e a dor o persegue,
que torna tudo instável, que empurra a pessoa para a incapacidade de se adaptar com facilidade ao meio.
que impede o que nos distingue criar e transformar.
E as árvores, não sentindo, não mexendo, sem consciência... persistem na tempestade, vingam na carência, e vão ficando mais esculpidas, mais dramáticas, mais imponentes, mais fortes. Esta é a sua sabedoria, persistir na sua solidão.
Como as invejo.