quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

gostava que fosses um menino

sorria, com todos os seus cabelos dourados espalhados pelos lençóis da nossa cama.
um sorriso feliz, maroto, de criança que quer dizer uma coisa difícil. O corpo também estava ansioso para o dizer, e parecia espreguiçar-se a cada olhar e sorriso trocados.


...pai... Gostava que fosses um menino.
um menino, filhota? Então?
sim... Gostava que fosses um menino, para poderes brincar comigo. Brincares como um menino, sem fazeres as coisas dos grandes.


e a pausa foi inevitável. Como uma pancada. (Acorda... Esperam-te... A cada hora que trabalhas a mais há quem te espere. E quem te espera é demasiado especial e importante para te distraires como um básico adulto. Agora responde-lhe.)


eu também gostava de ser um menino, para brincar contigo. Mas olha, no sábado vou patinar contigo, sim?


apesar de patético... Um sorriso de esperança abriu-se do outro lado. Há sempre o fim-de-semana para ser novamente um menino. Desculpa-nos estas semanas tão vazias e com tão pouco sentido. Um dia compreenderás, tal como nós, que o mundo está ao contrário.