sexta-feira, 18 de março de 2016

transplante laranjeira - citrus cinensis


 Apesar de um nebari com bom aspecto, eu sei que a árvore tem muitos defeitos. Por outras palavras, sei que não será uma peça bonsai exemplar. No entanto foi, a par da Oliveira doméstica, a minha primeira escolha de uma árvore de viveiro após a leitura do livro "Manual de Bonsai" de David Prescot.
O tronco não tem movimento a partir da sua base, no final tem o defeito do enxerto que não vai disfarçar. Os ramos não estavam numa posição favorável. O segundo ramo, estava demasiado próximo do terceiro ramo. Este seria o que poderia dar um pouco de profundidade, contudo pelos defeitos na sua base e pela proximidade (partindo da mesma curva) decidi retirar. Baixei o ramo principal.
Abri um shari, na perspectiva de disfarçar os defeitos do tronco no terço superior do tronco devido ao enxerto e junto ao segundo ramo e também por forma a conferir maior conicidade.

O resultado não é bom, o ponto de partida também não era famoso. Mas fiquei satisfeito por ter conseguido melhorar a técnica de transplante, pois tomei boas decisões e a árvore ficou bem ancorada.


Agora 15 dias de sombra e protegida do vento. Irei adubar em Julho e permitir que os ramos engordei para prosseguir os trabalhos. Caso não esteja satisfeito com o resultado, há um enxerto possível após o primeiro ramo, com o objectivo de conseguir uma árvore com duplo tronco e iniciar um hokidachi com o tronco de base.